Nos últimos anos, o fenômeno dos videos Yule Log no YouTube tem sido cada vez mais associado à tradição natalina. Esse tipo de vídeo, que mostra uma lareira acesa durante horas a fio, é apreciado tanto pelos entusiastas do Natal quanto pelos fãs do white noise – tipo de ruído difuso que aumentaria o foco e performance na execução de tarefas. Nada menos que 146.000 videos Yule Log estão disponíveis no YouTube, o que dá uma noção de sua relevância nas plataformas digitais.

As origens do Yule Log Video

A tradição, contudo, não começou no YouTube. Em 1966, Fred M. Thrower, CEO da estação de TV WPIX, Inc, em Nova York, teria se inspirado em um comercial da Coca-Cola que mostrava um Papai Noel junto a uma lareira para criar um programa de 3 horas de duração que presenteasse os novaiorquinos que moravam em apartamentos e casas sem lareiras com a sensação de conforto que o fogo queimando proporciona. Havia, claro, benefícios extra: a estratégia permitia aos empregados da estação passarem mais tempo com suas famílias no Natal.

Yule Log Original - Tradição Natalina

A ideia funcionou: o programa teve excelente aceitação, sendo retransmitido por 23 natais consecutivos e tornou-se uma tradição de Natal. Essa tradição natalina se encaixava perfeitamente na vida urbana e mediada pelo televisor de então. Sua interrupção, seguida de um hiato de 11 anos, gerou reclamações organizadas em um website, demandando a volta do Yule Log à WPIX. Em dezembro de 2001 – em pleno rescaldo do 11 de setembro, a vice-presidente da estação, Betty Ellen Berlamino, anunciou que o especial de Natal retornaria à programação. A população, segundo ela, estaria carente de “comfort food TV”. Berlamino sabia das coisas: o programa foi campeão de audiência na região metropolitana de Nova York naquele Natal e continuou a ser transmitido desde então.

Comfort Food TV: mais que a narrativa, a ambiência

A observação de Berlamino – “comfort food TV” – traz bons insights sobre o que esse formato de conteúdo provoca nas pessoas. Doce, difuso, leve e inspirador de memórias nostálgicas, o yule log resgata a lembrança de natais passados e idealizados. É como se criássemos uma zona temporária de Natal, uma ambiência que nos coloca no espírito da data. Em vez da narrativa, o loop contínuo, previsível, macio e cheio de elementos simbólicos (a chama, a lenha, os ornamentos, eventuais presentes, o tapete) inspira o conforto e a certeza de se estar situado dentro da tradição.

Yule Log como tradição natalina no YouTube

Era inevitável: o Yule Log como fenômeno da TV foi apropriado pelos usuários e reinventado em infinitas versões na internet. Era, pois, uma versão contemporânea da tradição natalina do especial de TV. O loop de lenha queimando ganhou audiências muito além do alcance das redes televisivas e uma enorme variedade de interpretações. Mash-ups com filmes, séries e outras referências culturais são abundantes nos mais de 146.000 vídeos de Yule Log hospedados no YouTube. A fórmula para a viralização? Assim como nos memes que conhecemos e amamos, o formato-base é maleável e nos deixa à vontade para brincar. Como diz o autor Clay Shirky quando fala dos memes de gatos, “nós também podemos jogar esse jogo”. O formato básico não requer grandes sacrifícios para ser replicado e nos convida a criar nossas próprias versões.

O vídeo clássico de Yule Log no YouTube quase nos faz sentir o cheirinho da lenha: crepitante, direto ao ponto, ele traz a lareira para nosso monitor:

Já outros vídeos trazem fenômenos da internet como personagens do loop natalino. A gata Lil Bub, por exemplo:

Quem disse que trechos de filmes não podem virar Yule Log? Darth Vader que o diga!

Nick Offerman, um whiskinho, o que pode dar errado?

Nada é mais romântico e acolhedor que um bico de bunsen torrando um pedaço de lenha

Mas… e no Brasil, ele conta como tradição natalina?

Sabemos que Yule Log faz muito mais sentido em um Natal no hemisfério norte, em meio ao inverno, e não em nosso cenário meridional, tropical e – não raro – escaldante. Mas se lembrarmos que a tradição natalina é algo construído pelas mídias, o Yule Log faz tanto sentido quanto comer castanhas, montar árvore de Natal com simulação de neve e abraçar renas mecatrônicas em shopping centers (em tempo: amamos). Seja qual for sua representação do Natal, desejamos que você o aproveite com tudo o que tiver direito!

Para abraçar com gosto o fenômeno do Yule Log, preparamos uma playlist no nosso canal no YouTube. Prepare uma bebida, acenda o pisca-pisca da árvore e aproveite a magia natalina!

Sobre a Aldeia

Somos uma agência digital com mais de 21 anos de atuação e muita história para contar. Nossa paixão é construir estratégias de presença digital e empoderar marcas e organizações para que construam narrativas e processos interativos com seus públicos. Para conhecer mais o nosso trabalho, clique aqui.