Olimpíada não é apenas futebol, mas, como diz Arnaldo, as regras são claras: a marca do evento pode até parecer do povo, mas não é.

As marcas Olímpica e Paralímpica são muito valiosas, e nenhuma outra empresa pode se associar a elas sem autorização, uma vez que 52% do orçamento para a realização dos Jogos Rio 2016 vêm dos patrocinadores e, por isso, existem grandes restrições sobre o uso de determinadas expressões durante os jogos.

20160721_Blog01_796x400_Rio2016_Ilustracao.fw

 

20160721_Blog02_200x300_Rio2016_Cartilha

 

 

Como prevenção às ações de marketing de emboscada, o Comitê Organizador dos Jogos Rio 2016 promoveu um programa de educação e engajamento, apresentando as regras dos Jogos. A iniciativa visitou agências de publicidade, feiras e eventos com o objetivo de passar a mensagem de proteção às marcas, principalmente para anunciantes

 

 

 

Assim sendo, é bom que estejamos cientes daquilo que
pode e do que não pode ser dito durante os jogos:

 

20160721_Blog03_796x800_Rio2016_Proibido.fw

 

Mas não significa que nós não podemos nada e eles podem tudo, não! Os personagens principais do evento são os atletas e, por essa razão, os parceiros oficiais também sofrem restrições: não são permitidos logotipos em uniformes, ou qualquer exposição de um anunciante nas arenas de competição.

 

20160721_Blog04_796x400_Rio2016_KeepSwimming

 

“Ah, mas vocês estão citando essas palavras agora mesmo.” Calma! Tenhamos bom senso: não estamos aqui nos apropriando de algo que não é nosso. O teor deste texto é editorial, não estamos, de forma alguma, denegrindo o evento ou querendo tirar proveito dele para autopromoção. Agora, quanto maiores os clientes, quanto mais concorrentes forem dos patrocinadores, quanto mais explícita for a referência aos jogos, maiores os cuidados que devem ser tomados. Lembre-se: as consequências são penais e podem vir em forma de uma multa gorda. Vale arriscar? Não, né!